[Fotografias do terceiro encontro do projeto 'Hospedando Lélia Gonzalez', na Biblioteca] Fabio Szwarcwald.

Fundo: Fabio Szwarcwald

Título: [Fotografias do terceiro encontro do projeto 'Hospedando Lélia Gonzalez', na Biblioteca]

Data e Local: 22/04/2019, Rio de janeiro, Brasil.

Espécie Documental: Fotografia

Condições de Acesso: Não Restrito

Cromia: COR

Formato: Pdf

Apoio / Realização: Ameav.

Curador: Curadora Residente da biblioteca: Tanja Baudoin. Bibliotecárias: Juliana Machado e Rubia Luiza.

Descrição de Conteúdo: O terceiro encontro é uma roda de conversa com os três artistas que contribuíram para o exposição do “Hospedando Lélia Gonzalez” na biblioteca. Aline Besouro, Millena Lízia e Yhuri Cruz fizeram trabalhos que estão em diálogo com o legado da Lélia Gonzalez ou com a presença negra na EAV. Nessa noite, eles vão elaborar sobre esses trabalhos específicas em relação de suas práticas artísticas.

Participantes: Aline Besouro é instrutora de Kundalini Yoga (3HO) e mestranda em Processos Artísticos Contemporâneos (PPGARTES/UERJ). Formada em História de Arte (UERJ), atua desde 2010 como figurinista em produções teatrais e cinematográficas. Em sua pesquisa destaca-se o interesse em historiografia e na conexão com alguém e a possibilidade de narrar alguma coisa. Max Willa Morais (1993). Pessoa graduada em Artes Visuais/ UERJ (2016) e Especialização em Educação das Relações Étnico-raciais (EREREBÁ, 2019-2020). Participou recentemente da Residência Despina (2019) com Daniel Santiso e publicou com sua tia Gracilene Guarani Capítulo 1, da série anotações para um livro, na coletânea Narrativas da experiência negra (org. Maria Gilda, 2019). É colaboradora do Instituto Maria e João Aleixo em Pesquisa, Educação e Culturas em Periferias (2018-2019). Em 2018, realizou com Daniel Santiso “A poeira não quer sair do Esqueleto”, documentário experimental exibido no Brasil, Uruguai, Sibéria, Emirados Árabes e Índia entre outros lugares. Seus trabalhos investigam histórias em acervos públicos, situações geográficas e relações materiais/imateriais com pessoas e objetos. Millena Lízia é uma pessoa vivendo este mundo em busca de uma caminhada com dignidade e saúdes. Busca as simplicidades, pois as coisas mais banais lhe chegam com camadas de desafios e complexidades. É artista contemporânea-ancestral, que assim vem se organizando desde as agitações diaspóricas das experiências pictóricas-epidérmicacs vividas – apenas mais uma forma possível de apresentação. Yhuri Cruz, 27, artista visual e escritor, graduado em Ciência Política, Rio de Janeiro. Desenvolve sua prática artística a partir de configurações poéticas entre o fantasmagórico e o real, buscando dar conta do que denomina memórias subterrâneas e da necropolítica como plano neocolonial. Tomando essas memórias como assombrações, sua produção escultórica recente se materializa numa fusão de pedras e gravuras. Outras pesquisas de caráter mais instalativo tendem a se relacionar com monumentos, presenças afrodiaspóricas, memoriais e informações silenciadas.

Biografia: Em 1976, Lélia Gonzalez (1935-1994) iniciou o primeiro curso de cultura negra na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O curso teve como foco a presença de artistas negros na arte brasileira e na cultura popular, trazendo questões de linguagem, religião, identidade e exclusão. Lélia Gonzalez foi antropóloga, professora de cultura Brasileira na PUC-RJ, política e defensora dos direitos humanos. Lélia era um símbolo muito importante para o movimento negro no Brasil, que publicou inúmeros artigos, dois livros, e ajudou a fundar instituições como o Movimento Negro Unificado (MNU), o Instituto de Pesquisas das Culturas Negras (IPCN), o Coletivo de Mulheres Negras N’Zinga e o Olodum. O projeto “Hospedando Lélia Gonzalez” visa dar atenção a esta figura e seu legado, pesquisando seu trabalho e idéias em relação à história da escola e seus investimentos no presente. “Hospedando Lélia Gonzalez” continua até julho 2019 com os seguintes componentes: – Exposição na biblioteca com materiais da Memória Lage (acervo da escola) e o acervo da Lélia Gonzalez, e contribuições dos artistas contemporâneos Aline Besouro, Millena Lízia e Yhuri Cruz. - Encontros mensais. – Estante com novos livros da biblioteca sobre artistas negras, com foco na mulheres e questões raciais – uma iniciativa das bibliotecárias. – Uma pasta com linha do tempo, textos escrito pela Lélia Gonzalez, e materiais encontrados durante a pesquisa.

Documento: Original

Procedência / Forma de Aquisição: Legado

Setor / Local: Ensino

Número de Registro: BREAVFS-0189

Analógico / Digital: Digital

Suporte: Eletrônico

Gestão: Fabio Szwarcwald

Série: Ensino

Subsérie: Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa

URI: http://acervo.memorialage.com.br/xmlui/handle/123456789/14471

Fotografia
Modos de visualização:
Navegação:
Ir à página: